Confira nosso guia completo sobre exportação/importação de bens de consumo

1. Introdução

Os bens de consumo são aqueles produtos utilizados em nosso dia a dia e que atendem a determinadas necessidades de nosso cotidiano. Por isso mesmo, são itens indispensáveis na vida das pessoas e diariamente são consumidos no mundo inteiro.

Milhões desses produtos são comercializados todos os dias por todos os países e o comércio exterior é o responsável por permitir a negociação e a logística deles entre os continentes, por meio das exportações e importações.

Como especialistas no assunto, resolvemos preparar um post completo para mostrar um pouco sobre essas transações internacionais de bens de consumo e como esse negócio pode ser algo lucrativo e bem interessante para indivíduos e empresas que pretendem investir nesse mercado.

Sendo assim, sem mais delongas, vamos direto aos pontos principais. Podemos começar?

2. Como funciona o comércio exterior de bens de consumo?

Ainda que você não tenha trabalhado com comércio exterior, é muito interessante entender o que é e como funciona fazer negócios com o resto do mundo. Com a força da globalização nos últimos anos, as fronteiras “diminuíram” e é totalmente possível e viável vender ou comprar produtos, serviços e tecnologias de praticamente todo o planeta, o que ajuda a movimentar a economia interna e, claro, abre inúmeras portas e oportunidades no mercado.

Isso vale também para os bens de consumo, ou seja, aqueles itens essenciais em nosso dia a dia, que explicamos um pouco na introdução e falaremos com mais detalhes ao longo do texto. Portanto, na prática, hoje, você pode importar produtos acabados ou insumos para a produção de algum material para revender aqui no Brasil, de forma simples e descomplicada.

Isso possibilita que você tenha produtos diferentes daqueles que já são produzidos em território nacional e se destaque no mercado com ideias inovadoras e únicas, inclusive, podendo criar até novos mercados inexistentes.

O mesmo vale para a exportação. Com o dólar mais elevado, vender bens de consumo para fora do país pode ser uma verdadeira mina de ouro e render bons lucros, mesmo em tempos de crise.

3. Quais são os principais bens de consumo comercializados no exterior?

Essa lista pode ser infindável e é possível exportar ou importar bens de consumo muito variados, que muitas vezes nem temos tanto conhecimento por aqui. Ou seja, mesmo que o produto que você tenha em mente não esteja presente em nossa lista a seguir, não tem problema!

Abaixo, nós destacamos apenas alguns exemplos de bens de consumos duráveis, semiduráveis e outros não duráveis mais comuns e que costumam ser movimentados por meio do comércio exterior.

Sendo assim, vamos conferir.

3.1. Produtos de maquiagem e cosméticos

Você sabia que o Brasil é um dos principais consumidores de maquiagem do mundo e esse mercado está em constante ascensão por aqui? Pois é, talvez isso nem seja muito uma novidade, tendo em vista o número de propagandas, profissionais e salões espalhados pelas principais cidades.

Porém, você já imaginou poder entrar nesse enorme mercado e, de quebra, conseguir trazer produtos e conceitos novos? O comércio exterior permite isso e coloca grandes fornecedores de maquiagem e cosméticos à sua disposição.

Aliás, esse setor de beleza e saúde é um dos mais movimentados no mundo, e o que não faltam são empresas internacionais em busca de importadores, sempre com preços atraentes e uma variedade imensa de produtos.

3.2. Brinquedos

O mercado infantil nunca enfraquece também e está sempre em constante evolução. A cada dia, novos jogos e brinquedos são lançados no mundo e muitos deles com um forte poder de viralização. Exemplos práticos e velhos conhecidos aqui no Brasil foram os antigos Tamagoshis, o Gameboy e os recentes Spinners.

Todos eles eram fabricados no exterior e bateram recordes de venda no território brasileiro, inclusive, ultrapassando muitos produtos nacionais. Sorte de quem enxergou essas oportunidades antes e investiu na importação dos mesmos.

Esses são apenas exemplos para demonstrar o sucesso de certos bens de consumo infantil que deram certo no Brasil. Porém há uma infinidade de outros mercados a serem explorados nessa área.

3.3. Produtos alimentícios

Outro mercado sempre aquecido é o alimentício! Já imaginou poder trazer alimentos, insumos e produtos lá de fora e inseri-los no mercado interno? Isso pode render muito e o que não faltam são variedades a serem trabalhadas na área.

Mas nem só de importação vivem aqueles que enxergam o comércio exterior de alimentos como uma ótima oportunidade de trabalho. Conseguir exportar produtos nacionais também pode ser uma excelente ideia e gerar lucros incalculáveis.

Tanto para a exportação, como para a importação desses bens de consumo é fundamental entender sobre a legislação do comércio exterior, estar atento às regras e normas locais para a venda e compra de alimentos lá fora e, por fim, seguir as devidas obrigações logísticas.

3.4. Vestuários

Entre os bens de consumo importados mais vendidos no Brasil, vale destacar os vestuários. Apesar da indústria têxtil nacional ser bem competitiva, há uma infinidade de oportunidades lá fora, que ajuda a dividir esse mercado e introduz muitas peças estrangeiras aqui.

É o caso, por exemplo, das roupas, bolsas e acessórios de grife, muitos deles vindos de países europeus e que têm um público específico no Brasil. Além disso, vestuários mais populares, como camisas, jeans e linhas esportivas importadas também representam uma boa fatia desse mercado e, sem dúvidas, pode ser uma boa oportunidade para se começar um negócio.

3.5. Eletrônicos

Outros bens altamente consumidos no Brasil são os eletrônicos e, quase sempre, de origem chinesa ou americana. É o caso de celulares, câmeras fotográficas, computadores, rádios, fones, entre outros.

Se trata de um mercado em constante evolução também e sempre com novidades tecnológicas, que podem servir como diferenciais para o seu negócio aqui no Brasil. Portanto, se pretende iniciar no comércio exterior e quer acertar em uma área lucrativa, importar eletrônicos pode ser uma excelente pedida.

3.6. Acessórios de moda

Além do mercado de vestuários que citamos mais acima, o de acessórios de moda também representa uma oportunidade promissora no comércio exterior. São infinitos os bens de consumo que integram esse nicho, como bonés, chapéus, bijuterias, óculos, relógios e muitos outros.

Em geral, por serem itens menores, leves e sem grandes riscos logísticos, a importação desses materiais tem grandes vantagens e fretes mais competitivos.

3.7. Peças automotivas

Outra dica de mercado bem aquecido é o de peças automotivas. Afinal, se trata de um nicho bem amplo e muito flexível, permitindo trabalhar, por exemplo, com partes mecânicas ou acessórios estéticos para veículos. No entanto, esses itens costumam incluir taxas de importação elevadas, mas é totalmente possível encontrar opções mais competitivas do que as produzidas em território nacional.

Como dica, é fundamental pesquisar bem, negociar com os fornecedores certos e acertar na escolha da empresa de comércio exterior. Todos esses detalhes ajudam a economizar e otimizar as transações internacionais.

4. Como exportar ou importar bens de consumo no Brasil?

No tópico anterior destacamos apenas alguns dos principais mercados de bens de consumo que podem ser trabalhados com o comércio exterior. No entanto, reforçamos que essa lista pode ser infinita e, hoje, praticamente tudo pode ser negociado “sem fronteiras”.

Porém, na prática, como funciona o comércio exterior de bens de consumo. Bom, já decidido o mercado e o tipo de produto a ser trabalhado, importar ou exportar não é nenhum bicho de 7 cabeças, desde que se trabalhe dentro da legalidade e, especialmente, com a qualificação profissional adequada.

Para isso, é essencial contar com uma assessoria especializada em comércio exterior e que realize todos os trâmites necessários para a sua negociação internacional.

Isso envolve a documentação exigida, o conhecimento técnico das transações, a legislação vigente em cada território, o transporte, o monitoramento das entregas e o desembaraço fiscal portuário. Ou seja, contar com esse tipo de serviço especializado é uma garantia de realizar uma negociação mais simples, rápida e sem custos extras ou surpresas inesperadas. Ah, e claro, com tudo dentro da lei.

5. Quais as melhores práticas para exportar ou importar bens de consumo?

Aproveitando o gancho do tópico anterior, vale destacar algumas das boas práticas que devem ser levadas em consideração na hora de fechar negócio lá fora. Como bons especialistas no assunto, separamos alguns bons conselhos. Confira!

5.1. Pesquise bem seus fornecedores

Uma das dicas fundamentais para a negociação internacional de bens de consumo é avaliar seus possíveis fornecedores. Afinal, quase sempre, as transações serão apenas online e é preciso ter certeza de que está fazendo negócio com uma empresa séria e de confiança.

Também recomenda-se perguntar e se orientar com profissionais na área de comércio exterior, sempre que duvidar de alguma proposta ou prática fora do comum.

5.2. Avalie bem os preços dos produtos

Avaliar os preços dos bens de consumo é uma prática importantíssima dentro do comércio exterior, pois, muitas vezes o importador pode se deixar levar apenas pelo custo do item, unicamente. No entanto, é preciso incluir o preço final, considerando os valores do frete e as possíveis taxações alfandegárias na hora de precificar.

Mais uma vez, reforçamos a importância de uma assessoria profissional e experiente para orientar e garantir uma transação menos custosa.

5.3. Entenda bem sobre os prazos também

Tanto para importação, como para a exportação de bens de consumo, é muito importante ficar atento aos prazos de entrega e liberação das cargas dentro das zonas portuárias. Afinal, isso afeta diretamente no seu atendimento, mas faz parte do dia a dia do comércio exterior.

Portanto, é bom conhecer ou, pelo menos, ter noção de uma média de tempo para receber ou enviar determinados produtos lá pra fora.

Algumas variáveis como o tipo de produto comercializado, a legislação vigente e o país de origem também podem influenciar no prazo.

5.4. Se informe sobre a legislação

Há determinados bens de consumo, como alimentos e farmacêuticos, que estão sob legislações especiais e contam com regras bem específicas dentro do comércio exterior. Portanto, é fundamental saber bem o que você está trazendo ou levando para fora e ter o devido conhecimento sobre a legislação vigente para aquela transação internacional.

5.5. Conte sempre com uma assessoria especializada

Todas as práticas citadas acima serão significativamente simplificadas com o suporte profissional de uma assessoria especializada em comércio exterior. Como já destacamos, toda e qualquer transação internacional envolve processos burocráticos, transporte, documentações específicas e legislações locais, o que é facilitado com a ajuda de despachantes e equipes de monitoramento.

6. O que diz a legislação em respeito da exportação e importação de bens de consumo?

A legislação aduaneira é um pouco complexa e pode ter certas variações, conforme algumas variáveis, como o tipo de produto e o método de comercialização. Para isso, existem as assessorias e os despachantes, que permitem orientar e otimizar as transações dos importadores e exportadores, garantindo que os produtos cheguem aos seus devidos destinos e dentro do que foi acordado.

Como falamos, produtos como alimentos perecíveis, medicamentos ou de risco, recebem tratamentos especiais, o que vai desde uma legislação específica até regras logísticas, que garantam a sua movimentação com segurança.

Há também restrições de exportações e de importações no Brasil previstas em lei e que devem ser de conhecimento dos envolvidos nas negociações internacionais.

Infringir as leis aduaneiras é passível de multas altas, apreensões de mercadorias e até mesmo de reclusões em certos casos. Portanto, se aprofunde na legislação referente a área que pretende atuar e não se esqueça de sempre contar com o suporte de uma assessoria profissional.

7. Conclusão

Enfim, chegamos ao fim de nosso guia sobre importação e exportação de bens de consumo. Como podemos notar, há uma infinidade de mercados que podem ser explorados nesse ramo e uma gama enorme de oportunidades, tanto para trazer novos produtos, como para enviar itens nacionais para o exterior.

Vale reforçar que o comércio exterior possibilita conectar sua empresa ao resto do mundo e reduz as fronteiras para negócios altamente lucrativos e inovadores. Porém, para que tudo saia conforme o planejado e que suas negociações sejam um sucesso, não esqueça de só uma assessoria aduaneira possibilita otimizar suas transações com total segurança e eficiência.

Curtiu? Então, compartilhe o post em suas redes e aproveite para marcar outros profissionais visionários que pretendem fazer novos negócios além das fronteiras.

Baixe gratuitamente o E-book

popup

Nome*
*
Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
×